MANDALA AGROECOLÓGICA MARCA DIA DE CAMPO DO CURSO DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA EM CULINÁRIA



Texto e fotos de  Susy MURAKAMI 

(CASLA-COMUNICAÇÃO) 



É possível ter alimentos bonitos e saudáveis sem agredir o meio ambiente e a saúde? Sim! A agroecologia mostra que o cultivo em sintonia com a dinâmica da natureza dispensa qualquer agrotóxico e ainda permite uma atividade econômica e ecologicamente sustentável. 



Tão importante quanto dominar essa prática é poder compartilha-la. Foi isso que fez a engenheira agrônoma Andrea Mayer Veiga no curso deste domingo. 


Para a agrônoma Andrea, “a mandala representa mais que uma simples técnica de cultivo. A mandala, utilizada na permacultura, é baseada  nas interações entre as energias sutis das plantas e dos seres humanos. Esse processo tem como finalidade equilibrar e potencializar o ambiente, a partir da melhoria do uso da água, de nutrientes, dos ciclos lunares. O manejo da biodiversidade em um sistema circular agroecológico é o segredo deste equilíbrio dinâmico, usando para tanto predadores naturais, plantas atraentes, companheiras e antagônicas, manejando-se a matéria orgânica do solo“.


Vivência para lá de especial entre professores, alunos e voluntários da Casla que, mais do que ensinar e aprender, mostraram que seres humanos e natureza de mãos dadas podem viver harmoniosamente.


Ao unirmos as forças, expresso pelo canto dos sujeitos, o mundo representado na mandala parece retomar um novo equilíbrio, a partir do qual a terra, as plantas e os humanos se sintonizarão, fazendo que desse processo de cultivo da terra emerjam os frutos da solidariedade como alimento do corpo de da alma“, diz o geoagrônomo Nicolas Floriani.


O abraço na mandala traduziu perfeitamente uma conexão de pura harmonia dos Voluntários, alunos e professores com a natureza. Brasil, África, América Latina e Haiti, todos em uma mesma sintonia mostrando como é muito melhor quando apenas unimos forças.






















Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *